Expliquem-me os bidés

sábado, 7 de junho de 2014

 As eras passam, mas os bidés mantêm-se.
 Qualquer pessoa que passe pelo mal de andar à procura de uma casa em Lisboa - aka apartamentozinhos minúsculozinhos muito apertadinhos - facilmente descobre que até a mais minúsculazinhas muito apertadinha casa-de-banho tem um bidé. Porque pelos vistos não faz parte da ideia dos arquitectos/engenheiros/wtv não incluir um bidé para ganhar espaço. Como se um bidé fosse essencial. Como se houvesse alguma coisa que se possa lavar num bidé que não se lave num poliban/banheira/lavatório/alguidar. Um wc sem bidé? Que disparate!
 Ou os bidés têm alguma utilidade mágica que eu desconheça? Alguma espécie de portal para uma dimensão paralela onde existem unicórnios e oompa loompas? Para Nárnia? Contem-me tudo.

3 micoses:

*Nightwish* disse...

Podiam sempre fazer como os japoneses e vazes um 2-in-1 de sanita e bidé. Mas se há alguma passagem secreta, ainda não descobri... mas também quero saber!! =P ***

O DIÁRIO por Mãe Solteira disse...

4 anos depois da construção da minha casa (de banho) ainda oiço gente muito admirada
- não tens bidé?
- tenho, está no tecto (o único sitio onde sobra espaço)

(ainda há quem volte para confirmar se, efectivamente, está no tecto)

concordo, que nada do que se faz no bidé deixe de ser feito pela falta dele

Corina de Oliveira disse...

só se for para colocar os pés de molho!

Enviar um comentário

Copyright © 2010 Comichão Psicológica | Free Blogger Templates by Splashy Templates | Layout by Atomic Website Templates