Algumas das minhas pancadas até são explicáveis, compreendam isso

sábado, 27 de dezembro de 2014

 Penso que a Disney cometeu um erro crasso ao anunciar este filme como baseado na história da "Rainha do Gelo" do Hans Christian Andersen. Teria sido mais inteligente dizerem que foi "inspirada" em... Mas nem vou refilar muito com isso porque, na minha opinião, a história é bem melhor do que a "original". E os puristas que me cruxifiquem à vontade por ter proferido tal sacrilégio, que eu nunca gostei das fábulas desse autor que são deprimentes-que-dói. Mas isso não é o tema deste post...
  Ora bem, a história de Frozen tem um enredo muito rico. Talvez por ter duas protagonistas princesas (coisa que também não me lembro de já ter visto) cada uma delas vive uma aventura com uma moral por trás. Entre o namoro precipitado de Anna e a fuga e isolamento de Elsa, não só prefiro a segunda sub-história como a adoro de paixão.
 Por norma, gostamos dos filmes porque nos identificamos com eles. Este caso não é excepção. Elsa é uma menina-mulher mais poderosa do que aquilo que as pessoas estão preparadas para aceitar, incluindo ela mesma. E acho que todas as mulheres gostam de acreditar que o seu maior problema com o Mundo é precisamente esse (embora, claro, nem sempre o seja). Elsa vê-se obrigada a afastar-se das pessoas que sempre gostou em prol da sua responsabilidade, e, a certa altura, quando todo o Mundo lhe aponta o dedo, ela opta pela fuga e isolamento. Durante esse período de exílio na montanha, ela aproveita para conhecer-se a si própria: do que é que afinal é capaz, quais são os seus limites de fraqueza e de poder, como se controlar a si mesma.
 Eu tenho de gostar deste filme porque sou altamente apologista disto mesmo. Passar tempo connosco próprios não deve ser um sacrifício mas sim uma terapia. E sou também uma adepta praticamente do isolamento aquando de toda a gente nos querer chatear a cabeça. Nem sempre tenho uma pessoa como a Anna para me vir resgatar à montanha, mas na altura certa, regresso à terra sozinha, já mais recuperada e convicta dos meus poderes.
 E sim, também sou uma fã assumida de Let it go. Gosto da porra da música porque tem uma letra extremamente madura e não tão plasticamente-sonhadora nem infantil que tantas músicas da Disney têm.
 Curiosamente só vi o filme pela primeira vez este ano, mas a par de The Nightmare Before Christmas vai passar um dos meus must seen da época natalícia.

 E ainda por cima a protagonista é boa todos os dias.

3 micoses:

*Nightwish* disse...

Alguém que me entende quando digo que o filme não tem nada a ver com o suposto original!! Não vou dizer que não gostei do filme, mas acho que lhe falta "qualquer coisinha", talvez uma trama mais... tramada :P Mas o facto de terem feito uma coisa diferente é uma coisa boa. Apesar disso, gostei mesmo muito muito muito da Elsa. Para além de ser super elegante, acho que é muito madura, talvez mais do que o esperado. Ela carrega muita responsabilidade, e ninguém lhe dá o mínimo de atenção ou uma segunda oportunidade. Ela poderia ter sido um óptima vilã (tenho uma adoração pelo mauzões, já sei :P), mas esse papel ficou muito bem entregue neste filme, na minha opinião =) *****

almond_girl disse...

Em relação à trama, aquela história da Anna estar prestes a morrer congelada e só o verdadeiro amor a poder salvar é um lamechas-mais-que-visto mas os filmes da Disney têm sempre essa moral, não há volta a dar. É o conceito deles, é a cena deles. A trama da Elsa, acho mesmo muito boa. Por ex, em Brave, a trama a resolver pela protagonista é arranjar um hocus pocus que faça a mãe "des"transformar-se de urso. Em Frozen, a trama a resolver pela protagonista é aprender a lidar consigo mesma, com as inevitáveis circunstâncias da sua vida, com os seus limites e poderes. Para mim, esta trama é muito conceptual e interessante :)

marie disse...

Também pensei isso quando vi o fillme este ano, mas este tem duas princesas/ protagonistas? E acabei por gostar da Anna um bocado mais do que da Elsa. Embora o final seja mais do mesmo "blá blá blá, amor verdadeiro", gostei de ver uma irmã não desistir da outra e do facto de a Anna não ficar com o príncipe, mas sim com o tosco. :)

Enviar um comentário

Copyright © 2010 Comichão Psicológica | Free Blogger Templates by Splashy Templates | Layout by Atomic Website Templates