O que faz um engenheiro? - parte I

segunda-feira, 3 de junho de 2013

 Adorava ver uma daquelas reportagens televisivas em que um repórter sai à rua de microfone em punho para filmar a resposta de vários transeuntes à mesma pergunta. E a pergunta seria "o que é que faz um engenheiro?".
 Você, ser que lê o meu blog: o que é que acha que faz um engenheiro?
 Tenho a sensação que a resposta da maioria das pessoas é "então um engenheiro faz... humm.... ahhhmmmmm... " (ou então "tipo, um engenheiro, tipo faz tipo cenas" caso a pessoa a responder seja sub 20).
 E não é de espantar que assim seja. Por duas principais razões:
 1 - Não é uma profissão quotidiana. Não precisamos dos serviços dos engenheiros de uma forma directa como precisamos dos serviços de um farmacêutico, de um médico, de um talhante ou de um professor.
 2 - Não é uma profissão "interessante". Ligamos a tv e vemos retratadas, em séries e filmes, vários tipos de profissões, de polícias a advogados, mas nunca engenheiros. Acho que o mais próximo disso acontecer foi a série "The Big Bang Theory", que retrata a vida de 4 nerds, um dos quais é engenheiro aerospacial. E mesmo assim, qualquer pessoa que tenha como única referência esta série ficará com a ideia de que um engenheiro é um mega nerd, que passa o dia a fazer operações matemáticas com símbolos estranhos e nos tempos livres participa num grupo de fãs do Star Wars.
 Por norma, os sites das faculdades informam acerca das saídas profissionais do curso. Mas, devido às 2 situações referidas anteriormente, isso não é uma grande ajuda. Digamos que dizer que as saídas profissionais de engenharia de ambiente são "empresas de prestação de serviços e de consultadoria" não nos ajuda muito a descortinar o que é o dia-a-dia de um engenheiro de ambiente. Ora então o senhor engenheiro acorda de manhã, lava os dentes, veste-se, dirige-se para o seu local de trabalho, que é uma empresa-de-prestação-de-serviços-e-de-consultadoria e... faz o quê? Senta-se numa secretária? Preenche papéis? Tem de se dirigir a algum lado? Usa computador? Faz contas? Pois.
 Consequências desta situação: fraca procura de cursos de engenharia pelos alunos de secundário e baixa percentagem de engenheiros formados. Não podemos esperar que as pessoas escolham tirar um curso que não sabem para que é que serve!
 Não consigo perceber como é que as faculdades de engenharia ainda não tomaram medidas no sentido de divulgar os seus cursos, enorme lacuna esta, nem como é que os próprios media não pegam nisto. Há projectos criados em Portugal (nem vou mais longe) tão mais interessantes do que qualquer Splash, Big Brother VIP, Morangos com Açúcar, etc e que ocupam tão pouco tempo de antena (ou nenhum).
 E é por estas e por outras que quando vejo um discurso político de apelo à produtividade do país, não posso deixar de soltar uma gargalhadinha de ironia.

2 micoses:

Sérgio Saraiva disse...

Sabes porque a Alemanha é rica e nós não? Porque a Alemanha é um país de engenheiros...
Um engenheiro é alguém que resolve problemas de uma forma estruturada. Simples.
Em tom de provocação barata costumo dizer que a função de um engenheiro é resolver problemas, a de um advogado é cria-los. O código da estrada escrito por um advogado tem 300 páginas e é orientado à excepção. Escrito por um engenheiro tem 3 páginas e é orientado aos casos gerais.

almond_girl disse...

E porque é que a Alemanha é um país de engenheiros? Porque a necessidade de encontrar formas de reconstrução rápida e económica em casos extremos (refiro-me às 2 guerras mundiais que chacinaram o país) obrigou os alemães a pensarem de forma sustentável e eficaz. E é esse o pensamento básico de um engenheiro.
Em Portugal temos a sorte (ou então não) de não ter passado por guerras nem catástrofes naturais de grande escala nas ultimas décadas, o que não fomentou essa produtividade exponencial que é tão necessária. Está mais do que na hora de se mudarem as mentalidades.

Enviar um comentário

Copyright © 2010 Comichão Psicológica | Free Blogger Templates by Splashy Templates | Layout by Atomic Website Templates