Agora compreendam porque é que tenho estado ausente

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

  A primeira grande desvantagem de estar de férias em Porto Côvo revelou-se logo quando pensei no destino - não há forma de não pensar no nome da terra sem que o Rui Veloso comece automaticamente a cantar na minha mente. Mas pronto, há coisas piores, por isso lá fui.
 Depois de uns quantos fins-de-semana passados em Tróia, essa wanna-be-Las Vegas de Portugal, qual não foi o meu espanto por encontrar mais jet set naquela terreola alentejana. Vamos lá ver, eu nem wi-fi conseguia apanhar em lado nenhum - nem no apartamento onde fiquei, Deus decidiu que estas férias haviam de ser para me abstrair por completo da realidade - por isso achava que me esperava um lugar quase deserto mais habitado pelos alentejanos locais e pelos hippies das caravanas e do surf. Mas não. Logo no primeiro dia de praia uma família ao meu lado faz-se ouvir a chamar os seus bebés (com no máximo 1 ano) de Conceição e Clotilde. Venenosa como eu sou, dei assim uma olhadela para ver se os nomes eram mesmo dos bebés e não de pessoas mais velhas, porque mesmo a falarem em voz-de-bebé, as pessoas dirigiam-se-lhes sempre por "você".
 "Clotildocas quer vestir o fato-de-banho?".
 Eu pensei cá para mim que aquele bebé não devia ter ambições mais elevadas do que comer areia, mas pronto.
 Perguntei a alguém se tinha ideia porque é que havia famílias que tratam os seus bebés por "você" desde tão tenras idades e recebi uma resposta ao nível da pergunta: "Nâo faço ideia, eu trato bebés por exmo. sr.".
 Entretanto percebi que estava a ser preconceituosa e que aqueles pais, dentro do seu nível social elevado, até tinham sido muito generosos com os nomes dos seus bebés. Isto porque, ao longo da tarde, apercebi-me de que andam por aí muitas crianças que nem nomes de pessoas têm. "Conheci" uma Mercedes, uma Kita, uma Soutinha (não percebi se era diminutivo de Souta) e uma Concha. Sim, uma Concha - afinal não é só na telenovela da tvi, há mesmo pessoas reais chamadas Concha.
 Por coincidência não encontrei assim nenhum nome de rapaz que me parecesse excêntrico.
 Por outro lado, também não travei amizades com ninguém. Mas podia ter acontecido. Já me tinha preparado psicologicamente que se calhasse vir a conhecer alguém, para não verem logo que sou pobre e de más famílias, ia dizer que me chamo Urraca e assunto resolvido.

3 micoses:

*Nightwish* disse...

Oh Dra. Dona Urraca, como está vossa reverência?! Ahahahahh!! Esse pessoal é muito estranho... Pior que tratar os filhos por vocês é ser a causa para, uns anos mais tarde, serem a origem do bullying dos filhos. Ainda eu achava que nomes como "Vera Lúcia" e assim era maus. Curiosamente, os nomes de rapazes não costumam ser muito maus... excepto Santiago.
Parece macumba, mas assim que li o nome da terra para onde foste, começou logo o Rui Veloso a cantar =P
****

C. disse...

eu tenho um nome muito fora do comum por isso acho que não posso falar :x

esperto que nem um alho disse...

Maria_amêndoa é nome de aristocrata. Amêndoa amarga é que não. Dá assim um ar de frequentadora de tasca. xD

Enviar um comentário

Copyright © 2010 Comichão Psicológica | Free Blogger Templates by Splashy Templates | Layout by Atomic Website Templates